História
annecamile2014
6

Brasil nos últimos dois anos. URGENTE, DOU 25 PONTOS.

+0
(1) Respostas
kellypereirasuz

Nos últimos anos, o Brasil vem passando por um dos mais significativos processos de envelhecimento da população ativa em todo o mundo, mas diferentemente dos países desenvolvidos, no Brasil este processo não vem sendo acompanhado pelo crescimento econômico, melhoria do bem-estar e diminuição das desigualdades. Devido a isto, serão necessárias diversas mudanças no que diz respeito ao mercado de trabalho e ao perfil das políticas públicas, no sentido de possibilitar a manutenção da capacidade para o trabalho e a autonomia física e mental dos trabalhadores no decorrer dos anos. O objetivo deste trabalho foi analisar a capacidade para o trabalho dos servidores públicos de uma instituição de ensino superior e os fatores associados. Foi desenvolvido um estudo transversal com uma amostra aleatória de 600 trabalhadores técnico-administrativos em educação e para calcular a capacidade para o trabalho foi utilizado o Índice de Capacidade para o Trabalho (ICT). A população de estudo foi composta, predominantemente: por homens (51,5%), com idade média de 45 anos (DP=±11), casados ou vivendo em união estável (61,5%), com pós-graduação (56,7%), que trabalham em apenas um emprego (83,3%), com carga horária semanal menor ou igual a 40 horas (78,6%), não trabalham à noite (79,8%), tem contato direto com o público (58,3%) e obtiveram capacidade para o trabalho predominantemente boa ou ótima (84,7%). A análise multivariada, realizada através de regressão de Poisson e controlado por idade e sexo, mostrou que os fatores associados significativamente ao baixo ICT foram: escolaridade até ensino médio (RP= 2,04; IC95% 1,03-3,75), autoavaliação de saúde geral ruim (RP= 2,34; IC95% 1,11-3,27), presença de sinais e sintomas de depressão (RP= 4,52; IC95% 2,03-6,01), sedentarismo (RP= 2,90; IC95% 1,35- 4,77), baixo apoio social no trabalho (RP= 3,97; IC95% 1,66-4,45), absenteísmo por doença um ou mais dias (RP= 3,82; IC 95% 1,62-4,46) e as exigências do trabalho predominatemente mentais (RP= 0,54; IC95% 0,32-0,90). Os resultados do estudo mostraram que, embora a maior parte dos trabalhadores tenham apresentado boa ou ótima capacidade para o trabalho, ainda houve uma pequena porcentagem com baixa ou moderada capacidade, o que indica a necessidade de implementação de medidas de apoio direcionadas a eles, visando melhorar sua capacidade e prevenir que eles se tornem incapacitados para o trabalho ao longo do tempo. Além disso, são necessárias medidas direcionadas aos demais trabalhadores, a fim de manter sua capacidade para o trabalho, explicando a eles sobre os fatores nocivos e sobre aqueles que colaboram com a manutenção desta condição.

Adicionar resposta